quarta-feira

Câncer - Processos Psicossomáticos


Louise L. Hay, autora do livro Cure seu Corpo, que curou-se de um câncer maligno após compreender o processo de cura mental  mantendo uma atitude positiva em relação à doença (Câncer – é possível extrair uma experiência positiva deste problema) , nos trás um parecer sobre a origem emocional do câncer no seu livro Você Pode Curar Sua Vida:

“O câncer é uma doença causada por um ressentimento profundo abrigado por tanto tempo que ele literalmente começa a comer o corpo. Algo aconteceu na infância (ou na vida) que destruiu o sentido de confiança da pessoa. Essa experiência jamais é esquecida e o indivíduo vive com autopiedade, encontrando dificuldade em estabelecer e manter relacionamentos duradouros e significativos. Por causa desse sistema de crenças, a vida parece ser uma série de decepções. Uma sensação de impotência, desesperança e perda permeia o pensamento e torna-se fácil culpar os outros por todos os problemas. As pessoas que têm câncer também são muito críticas em relação a si mesmas. Para mim, a base da cura do câncer é aprender a amar e aceitar o eu. Descobri que o perdão e o se libertar do ressentimento são capazes de dissolver até o câncer. Embora essa afirmação possa parecer simplista, já vi e comprovei isso em meu trabalho.”


Como Louise L. Hay, Cristina Cairo é pesquisadora sobre a conexão do pensamento e das emoções com a saúde do corpo e autora do livro Linguagem do Corpo. A relação apresentada por ela entre as emoções e as doenças é fruto de uma compilação de estudos da filosofia budista, da medicina chinesa, medicina egípcia, psicologia e inúmeras pesquisas realizadas em mais de 20 anos de trabalho com a Linguagem do Corpo.  Segue abaixo um trecho do livro citado, também sobre o câncer:


CÂNCER
O corpo está associado a pessoas íntimas - família e parentes. Em japonês, niku-shin é o corpo carnal, bem como a família e os parentes. Todos os tumores que se formam no corpo (sarcoma, câncer, quisto, etc.) são concretizações de ”tumores mentais” formados por conflitos entre pessoas da família.

Quando uma pessoa arrasta uma mágoa por muito tempo em seu coração, seu universo começa a se desarmonizar, causando distúrbios celulares. Ressentimentos antigos, guardados em segredo e originados pelo medo de perder alguém ou por achar que perdeu o único amor de sua vida, fazem concretizar um câncer no órgão relacionado ao fato.

O câncer, na verdade, é fabricado pela mente humana por razões profundas que só o seu inconsciente conhece. É uma forma de imobilizar pessoas para seu lado, de punir alguém que o feriu profundamente, mesmo à custa de sua própria vida, ou de autopunição por nunca ter agido como deveria naquelas situações amargas.  A doença não desaparecerá enquanto o doente estiver retendo em seu coração mágoa e desarmonia por uma ou mais pessoas.

Em primeiro lugar, o portador da doença precisa compreender que não deve construir um castelo e viver só desse sonho, porque assim, um dia, depois de derrubado o castelo, sua vida perderá a razão de ser. Devemos amar, dedicar-nos e respeitar, mas também aceitar as mudanças que o mundo traz.

Perdoe profundamente aquele que o feriu. Se você já esqueceu quem o agrediu, reflita calmamente, que tudo virá à sua mente de forma nítida, pois casos assim são sempre evidentes. Liberte todo o seu passado e construa coisas novas para o futuro. Ame-se com todo carinho e decida ser feliz em outro território, ou procure reconquistar o relacionamento perdido por meios sábios e não através dessa doença, que não resolverá nada. Tente entender as razões da outra pessoa e aceite que num relacionamento, ninguém está 100% certo.

Perdoe seus pais, todos os parentes e, principalmente, seu cônjuge, que também é uma vítima da ausência de diálogo. Seja o que for, tudo pode ser esquecido ou modificado. Acredite na felicidade e seja dono de sua própria vida. Sinta-se livre para recomeçar e saiba que nenhuma doença é incurável.

Muitas pessoas se curam quando reconhecem, humildemente, seus erros ou aceitam os erros dos outros, procurando entender, sem ressentimentos. Se a doença ainda não desapareceu é porque seu subconsciente continua guardando lembranças negativas. Mantenha uma conduta alegre e positiva a todo instante, e decida se curar para recomeçar. Enxergue essa postura de vítima que você carrega e mude seus objetivos, construindo sua independência. Faça planos e confie na provisão da Natureza, que só poderá ajudá-lo se você desistir de querer que tudo seja à sua maneira.  Liberte-se até de suas próprias cobranças orgulhosas.

Caso você não consiga transformar-se com seus próprios esforços, procure a ajuda de profissionais da área psicológica - terapia moderna convencional, terapia holística, neurolingüística e toda forma de amor incondicional. Você precisa se impregnar de esperança e dinamismo. Cure-se! Só depende de sua decisão. Informe-se sobre essas curas e siga o caminho. Amplie sua consciência e não se acomode e nem se apoie nas opiniões alheias. Você pode curar-se!

Ainda segundo Cristina Cairo, apenas para ilustrar as informações sobre a origem psicossomática do câncer, seguem abaixo exemplos de tipos de câncer e suas respectivas causas emocionais:

ÚTERO
O útero simboliza a criatividade e o relacionamento conjugal.  Quando uma mulher é dependente de alguém que a tolhe em sua criatividade e é obrigada a deixar de fazer o que gosta, e do jeito que gosta, seu útero reage com dores, atraso menstrual, etc. Se ela vive alimentando sentimentos de mágoa contra o marido e vive ”engolindo” os ”nós” da garganta para manter seu relacionamento, adquirirá nódulos e cistos nos ovários e no útero. Quando o casal vive em desarmonia e a mulher se anula para ”alcançar” o marido, podem aparecer, além de nódulos, dores, cistos e infecções difíceis de curar. A mulher pode transformar o sentimento de raiva pelo parceiro, ou a sensação de ser usada por ele, em vaginite e até em doenças venéreas, dependendo do seu grau de ressentimento ou da falta de amor próprio.
Mágoas arrastadas por muito tempo, pelo fato de ela ter sido traída ou abandonada, provocam câncer uterino como autopunição ou vingança contra o marido. O câncer uterino também pode se formar a partir de um sentimento de impotência e anulação que a mulher carregou durante anos de sua vida.

PRÓSTATA
A Próstata representa a masculinidade. O homem que sente que sexualmente não é mais importante para a mulher e não recebe qualquer elogio sobre sua masculinidade, passa a ter medo de não agradar mais. É envolvido por um sentimento de culpa e sente-se pressionado a desistir.
Quando o homem vive um relacionamento conjugal em constante conflito e a mulher tenta ser completamente independente, seu inconsciente o ”avisa” que sua virilidade está em jogo.
Problemas na próstata simbolizam revolta contra as mulheres ou contra uma determinada mulher. O câncer na próstata é chegar ao extremo do desespero da auto-afirmação e ”vingança” por estar sendo humilhado e magoado pela mulher (ainda que essa humilhação seja apenas interna).
O homem necessita de uma mulher que o compreenda e o incentive sempre, caso contrário passará a se deixar levar pela crença de que, ao avançar da idade, diminuirá sua potência sexual.
Livre-se da dependência de precisar ouvir que você é bom e acredite, por si só, nessa realidade. Perdoe as mulheres e tente compreender mais as necessidades de solidão e independência que elas, às vezes, reivindicam.
Harmonize-se no seu relacionamento e procure ser complacente. O diálogo sincero resolve todas as questões emocionais. Diga o que você está sentindo e esqueça o orgulho. Se não conseguir, não fique irritado, pois existe uma saída para tudo. Arranque de seu coração essa mágoa para continuar a viver, nem que seja com outra mulher. Queira ser feliz sinceramente e ore pela sua felicidade e pela de quem o fez sofrer. Saiba que, se você não permitir se deixar magoar, ninguém conseguirá lhe tirar a paz. Deixe de esperar tanto retorno de quem você ama. A expectativa só traz frustrações e sofrimento. Perdoe e confie em você e em toda sua capacidade masculina, sem traumas. Desista de imobilizá-la através da doença, porque você é que será o grande perdedor e ninguém é insubstituível. Viva sua vida sem ressentimentos e aceite as mudanças, com gratidão.
Volte-se para o seu autoconhecimento e descubra toda a sua grandeza. Independa dos sentimentos dos outros e sinta a alegria de viver, livre das autocobranças e dos preconceitos.
Busque a alegria da vida em outros setores do seu cotidiano e destrua essa idéia fixa de revolta e sentimento de ”fera ferida”.

Fontes / livros: 
Você Pode Curar Sua Vida - Autora Louise L. Hay
Linguagem do Corpo - Aprenda a Ouvi-lo Para uma Vida Melhor  -  Autora Cristina Cairo


Vale ressaltar que o padrão mental aqui demonstrado nem sempre é 100% verdadeiro para todos, entretanto pode servir como ponto de referência para um autodescobrimento ou para iniciar a busca pela causa da doença.  De qualquer forma, o trabalho de autoconhecimento é sempre de grande valia na busca da cura ou mesmo, em casos de que a cura já foi obtida, para evitar a reincidência do câncer, que infelizmente é muito comum. E faz muito sentido que isto ocorra: a cura externa pode ter sido conquistada, mas a cura do padrão mental que a originou nem sempre é procurada.

Nestes casos, o Projeto Buscando Soluções, através de suas técnicas poderosas no auxílio do reconhecimento e mudança de padrões negativos de pensamento, emoções e comportamento, pode ser um grande aliado na batalha contra o câncer. E não apenas para o doente, mas também para sua família e os demais que convivem com ele. É muito difícil também para estas pessoas, o processo envolve pena, culpa, sensação de impotência e até de fracasso, muitas vezes, entre outros sentimentos. O resultado final é um quadro de complicada administração para todos. Mas não precisa ser assim, há formas mais fáceis e tranqüilas de se lidar com isso. 

Se a dor é inevitável, o sofrimento é opcional.




Nenhum comentário :

Postar um comentário

O que você achou? Deixe sua opinião. Ela é muito importante!