quinta-feira

Especialista em dores crônicas relaciona dores com emoções não resolvidas


Dr. John Sarno é professor de fisiatria na Universidade de Nova York. Ele atende pacientes com piores casos de dores crônicas. Muitos tiveram dores severas (pescoço, ombros, costas, nádegas) por 10 a 30 anos, muitos receberam varias injeções epidurais, uma ou mais cirurgias e anos de fisioterapia. Todos tinham seus movimentos gravemente comprometidos (como se uma empilhadeira tivesse caído em cima deles ) e todas suas radiografias  pareciam as do “Homem Elefante”,  de maneira que aparentemente havia boas razões para suas dores. Com este grupo de pacientes, ele tem taxa de cura de 70% (com relação a dores e funções), e outros 15% de seus pacientes obtem melhorias significativas (i.e., 40 a 80% de melhoria). E ele obteve esses resultados com cerca de 12.000 pacientes.

Um paciente típico de dores crônicas vai ao consultório e geralmente o medico solicita a ressonância magnética. Invariavelmente, este mostra algum tipo de anormalidade anatômica, como discos deslocados ou estenose ou artrite da  coluna.  E o medico normalmente diz, por exemplo: “É o disco que está causando sua dor.” E então se inicia o tratamento do disco, com resultados pobres a longo prazo.


Sarno pesquisou a literatura e percebeu que se você pegasse 100 pessoas de meia-idade SEM dores nas costas e fizesse uma ressonância magnética, 60% delas apresentariam deslocamento do disco ou estenose da coluna e NENHUMA dor (New England Journal of Medicine article 1994). Então ele começou a indagar: “SE não é o disco que está causando a dor, então qual será a causa?” O que ele descobriu é que essas pessoas tinham tensão crônica e espasmos musculares no pescoço, nas costas, nos ombros, ou nas nádegas. Ele diz que quando o músculo é tensionado de maneira crônica, o sangue não pode fluir por ele, ocorre uma aparente falta de oxigênio e é isso que causa a dor intensa. Você também pode imaginar um músculo tensionado comprimindo um nervo causando sintomas de ciática.

Um ponto importante aqui é que ele não está dizendo a pacientes que toda a dor está em suas cabeças; ele está apresentando uma explicação fisiológica verdadeira para ela. No entanto, quando nós avançamos mais alguns níveis lógicos,  no próximo parágrafo, você verá a conexão com as emoções.

Então Sarno fez a pergunta: “Por que alguém começou a ter seus músculos tensionados cronicamente?”  Aqui estão suas explicações. Ele diz que muitos de nós crescem nas famílias em que  aprendem, num certo nível (inconsciente), que não é bom sentir ou expressar nossa raiva ou ansiedade. O problema, obviamente,  é que quando nós crescemos, nós temos eventos específicos ou traumas que provocam raiva ou ansiedade. Quando essas emoções começam a surgir em seu corpo, nossa mente inconsciente diz, basicamente: “Não é bom ou seguro sentir essas coisas”. “Daí”, diz Sarno: “a mente inconsciente irá provocar a compressão e endurecimento dos músculos para causar a dor, a fim de desviar nossa mente daquilo que está nos causando ansiedade ou raiva. Muitas vezes essa dor/processo pode durar décadas.

Como Sarno obtém seus resultados impressionantes é levando o pessoal para duas palestras. Na primeira palestra, ele diz para eles: “Não é o disco ou estenose da coluna, ou anormalidade anatômica que está causando sua dor. Muitas pessoas na sua idade e sem dores tém um disco deslocado ou estenose da coluna, etc. O que está causando sua dor é a tensão crônica e espasmo muscular. Etc., etc.

Na segunda palestra, ele diz a eles: “Quando vocés tiverem dor, eu quero que observem o que está causando essa raiva ou ansiedade”. Então Sarno descreve como ele faz o pessoal escrever um  diário, ou participar de grupos de terapia ou fazer psicoterapia. Ele diz que cerca de 20% de seus pacientes não estavam conscientes do que estariam causando raiva ou ansiedade e precisaram fazer terapia para entrar em contato com algum material reprimido ou inconsciente.

Eu explico o modelo de Sarno quando dou palestras, pelo fato de ele conseguir resultados tão impressionantes e claro, por ser um fato comprovado. Em um de seus livros mais recentes, ele explica que este modelo emocional não está restrito a  dor  músculo-esquelética, mas pode ser usado para muitas doenças crônicas ou doenças funcionais. Ademais, tenho certeza que fica obvio para você que alguns dos métodos que ele estava usando para lidar com problemas emocionais eram arcaicos comparados com a velocidade e a eficiência da EFT. Poderiam esperar de nós  resultados melhores e mais rápidos com EFT, que é a melhor e mais rápida técnica de cura mente-corpo de uso clinico no mundo atualmente.

Eric Robins, MD  -  Traduzido e adaptado do artigo publicado em www.emofee.com


Links Relacionados:



2 comentários :

  1. Muito muito interessante este artigo sobre as dores crónicas. conheço algumas pessoas que sofrem deste mal e são ainda novas e estão constantemente em fisioterapia, mas as melhorias são ténues e provisórias. Já tinha lido sobre a existência do nosso corpo emocional que atua conforme as emoções predominantes.. Tudo se conjuga, tudo se concilia. Na realidade as emoções e sentimentos definem a nossa vida e estabilidade psicológica. Este estudo veio reforçar a necessidade de pessoas com dores crónicas seres acompanhadas por psicologia e outras terapias da alma. Parabéns pela sensibilidade com que trata os temas no seu blogue. Beijinho. Isa

    ResponderExcluir

O que você achou? Deixe sua opinião. Ela é muito importante!