quinta-feira

Vampiros Energéticos - Isto existe mesmo? Parte 1

Cuidado, eles podem estar ao seu lado!
Como são criados os vampiros e por que esse fenômeno acontece?

Muito simples. Um vampiro de energia é uma pessoa que está em profundo desequilíbrio interno. Frustração, autoestima deficiente, ressentimento, complexo de perseguição e de vítima, insegurança e, acima de tudo, o egoísmo, são estados psíquicos que fazem com que a configuração energética da pessoa se torne desequilibrada, afetando negativamente outras pessoas, roubando-lhes assim sua energia vital. Alguns chegam a interferir de forma concreta na vida pessoal de suas vítimas: intrigas, fofocas, competição desleal, ciúme excessivo e dominação agravam mais a situação.

Quem já não passou pela desagradável experiência de se sentir muito mal ao lado de alguém? Bocejos sucessivos, sonolência, dor de cabeça, irritação, perda de energia, confusão na cabeça, enjoo, entre outros fenômenos que aparecem após um telefonema ou aquela visita inesperada. Mas o pior é quando a pessoa que nos causa tamanho mal faz parte do nosso círculo de amigos, está entre os colegas de trabalho e o pior: na própria família!


NUTRIÇÃO ENERGÉTICA

Todos nós possuímos necessidade de uma carga energética vital para nutrir nossos corpos físico e espiritual.  Uma parte da energia que precisamos obtemos através da alimentação, ou seja, através de comida sólida e líquida, o arroz-feijão de cada dia. Outra parte das energias vitais é absorvida através da respiração - o mana ou sopro divino.  Porém, a maior parte de energia vital que necessitamos é extraída do Fluido Cósmico Universal, que é absorvido diretamente pelo perispírito, através dos centros de forças (chacras).

Nossa nutrição energética acontece, em geral, de modo inconsciente, automático, orientado e regulado pela própria inteligência instintiva dos nossos corpos físico e espiritual.  A reposição dessa carga energética vital na quantidade mínima que necessitamos para manter a vida depende de vários fatores, tais como: o modo de vida, o meio, a qualidade dos pensamentos, sentimentos, sensações, entre outros. 

Não existe um limite para a quantidade máxima de carga energética vital. 
 Quanto mais, melhor, pois teremos vida mais ativa. Porém, as circunstâncias negativas que muitas vezes deixamos tomar conta de nós, consomem muito mais energia vital do que as circunstâncias positivas, causando-nos um déficit energético. Muitas vezes, os meios naturais de absorção de energia não são suficientes para repor a quantidade de carga energética vital que estamos gastando, e assim passamos a ter carência energética.

SUGADORES DE ENERGIAS
Pessoas física e psicologicamente sadias e equilibradas nutrem-se diretamente nas fontes naturais de energia. As pessoas desequilibradas, por terem perdido o contato com a sua própria natureza interna mais profunda, perderam também a capacidade de absorver e processar o alimento energético natural.  Por isso, para sobreviver, precisam pôr prática um expediente horrível: sugar a energia vital de outras pessoas, tal qual acontece nos filmes de terror, onde o sangue sugado pelos vampiros do cinema representa a energia vital real. Estas pessoas são chamadas de “sugadores de energias” ou “vampiros energéticos”.  As características de um sugador são muitas, mas a principal e da qual todas as demais derivam é o egocentrismo. Quanto mais a pessoa estiver voltada para si mesma, concentrada em si mesma, mais ela terá dificuldade para estabelecer contato com fontes naturais de nutrição energética e maior será sua tendência para sugar energia vital dos outros.

Esses "sugadores de energia" vivem da energia alheia e é muito difícil conviver com alguém "puxando você para baixo" o tempo todo.


MECANISMO DOS SUGADORES DE ENERGIA
O ser humano emana ininterruptamente energia para o meio ambiente, impregnando o local onde permanece e atingindo também as outras pessoas com suas vibrações pessoais. Através de todos os tipos de comunicação possíveis, fala, audição, toque, visão, escrita, entre outros, estamos, de forma ininterrupta, nos comunicando energeticamente. Cada campo energético interage com o do ambiente e com o das pessoas com as quais ele entra em contato.

Quando nos aproximamos de outra pessoa, sempre ocorrerá uma simbiose energética, por isso estamos permanentemente trocando energias com outras pessoas, tais como as que vivem em nossas casas, no ambiente de trabalho, nos locais públicos.  Ao mesmo tempo, cada um de nós interage com outros seres humanos que de nós se aproximam, estabelecendo com eles os mais variados tipos de combinações energéticas, influenciando-os e por eles sendo influenciados. De forma permanente, trocamos energias com sistemas externos, como nossas casas, ambiente de trabalho, nos locais públicos.

Cada um de nós possui um padrão energético que é determinado pelo tipo de pensamentos, sentimentos e condição física. Sendo assim, o ideal seria uma comunicação sadia, pautada pela troca de energias de forma equilibrada e cooperativa. Isto é a verdadeira Inteligência Emocional. Mas, como ainda estamos muito longe disso, alguns acabam sugando muita energia e dando muito pouco em troca, desvitalizando assim os ambientes e as pessoas.

No caso do sugador de energia, ocorrerá que ele praticamente não terá energia para transmitir. As pessoas se tornam sugadoras de energia porque absorvem a energia do outro e, por estarem debilitadas, metabolizam e consomem toda a energia absorvida e não sobra nada para retornarem à outra pessoa. Toda energia que o sugador absorver será metabolizada e consumida pelos seus organismos físico e espiritual, ou seja, irá absorver muito mais do que emitir, causando assim um déficit energético na outra pessoa.

Quando duas pessoas se postam frente a frente para uma conversação e  começa ocorrer disputa de opiniões, críticas, intimidações, etc, imediatamente os campos de energia dos dois irão tornar-se de algum modo mais densos e excitados, como por uma vibração interna. À medida que prosseguir a conversa, os campos começarão a misturar-se. Quando um deles estabelecer um ponto que demonstre certa vantagem sobre o adversário, seu campo criará um movimento que parecerá sugar o campo de energia do outro. Mas aí, quando a outra pessoa fizer sua refutação, a energia refluirá novamente para ela. No final, quem conseguir argumentar melhor sairá mais fortalecido, porque estará com parte da energia do outro e, em consequência, o outro sairá com menos energia, portanto, enfraquecido, se sentindo esgotado.

Tudo isso ainda é inconsciente na maioria das pessoas. Tudo que sabemos é que nos sentimos fracos quando perdemos uma discussão e, quando vencemos, nos sentimos melhor.  Em resumo, vimos que dominar outro faz o dominador se sentir poderoso e esperto, porque suga a energia vital dos que são dominados. Em termos da dinâmica dos campos de energia, marcar o ponto parece significar apoderar-se de parte do campo de energia do adversário e puxá-la para dentro de si.
(continua)

Vera Caballero

Artigos Relacionados:
Conheça os principais sugadores de energia e como agem (parte 2)
Sugadores de Energia  - Aprenda a se defender (parte 3)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

O que você achou? Deixe sua opinião. Ela é muito importante!