segunda-feira

Depressão e Insucesso

Muitas pessoas reclamam que suas vidas estão fora dos trilhos. Nada dá certo, os relacionamentos estão difíceis de continuar, as finanças, de mal a pior, não estão felizes com seus corpos, os ambientes em que vivem não são apropriados, a solidão que sufoca... alguns sentem até que não há motivos para continuar vivendo. Basta ver a quantidade assombrosa de suicídios e casos de depressão que, pela última contagem da OMS, está batendo a casa dos 25% da população. Mas, como é possível a pessoa reverter uma situação caótica?

O processo de mudança começa dentro de nós, com o trabalho de conhecer-nos a nós mesmos, intimamente, com o desejo de conhecer nossos procedimentos, crenças e falhas, pois, somente assim, é que poderemos consertar o que está errado. Como podemos consertar algo, se nem sabemos o que é? 


A imensa maioria de nós acredita que o erro está fora de nós: é o ambiente que não é o ideal, os colegas que não são corretos, os familiares é que são incompreensivos e inconvenientes, Deus é que quer que eu seja pobre, meus superiores que não reconhecem meu valor, ninguém me ama, ninguém me quer, ninguém me chama de meu amor... Enfim, nossa tendência é sempre culpar o exterior, sempre a culpa é dos outros e de fatores externos a nós. Isso é o chamado vitimismo e é um grande equívoco, pois, no momento em que assumimos a responsabilidade por tudo o que nos acontece, passamos a ter o poder de modificar nossas realidades. Quando somos vítimas, sempre recebemos as consequências do que não planejamos e não podemos mudar o quadro. Mas, será que o não planejar não foi uma decisão nossa? Ao contrário, quando tomamos a decisão de assumirmos a responsabilidade de planejar nossos pensamentos e emoções, adquirimos o poder de moldar nossas realidades, adequando-as para o nosso bem. Simples assim. 

E como é possível fazer isso? Bom, primeiro é preciso fazer um processo de autoconhecimento, reconhecendo suas falhas e aprendendo com elas a melhor maneira de agir e de pensar. Depois, é necessário fazer um trabalho de limpeza de crenças limitantes e emoções nocivas (faxina mental), pois, assim, você joga fora aquilo que te força a pensar errado e escolher realidades erradas. Por consequência, você aprende a plasmar cenários mais interessantes para a sua vida. Esse trabalho pode ser feito individualmente, na autoaplicação de técnicas como a Peça e Receba, por exemplo, ou ainda no trabalho guiado e conduzido por um terapeuta. O profissional é treinado para identificar os padrões nocivos de pensamento e comportamento, aplicar as técnicas disponíveis para dissolvê-los, assim como para direcionar o rumo da terapia, para que não percamos muito tempo caindo nas armadilhas que subconsciente nos prega, na tentativa de manter os velhos hábitos e tendências - a chamada autossabotagem, que tanto atrapalha a vida. 

Isso é chamado de Desenvolvimento da Inteligência Emocional, que é o verdadeiro caminho para a felicidade e o bem-estar. A Inteligência Emocional também pode ser chamada de Equilíbrio Emocional, que se traduz em equilíbrio energético. Uma vez que seu padrão energético está equilibrado, inteligentemente funcionando, toda a sua realidade se equilibra e modifica para melhor, sem grandes esforços. Todas as pessoas que empreenderam energias buscando o autoconhecimento e o reequilíbrio energético podem atestar a grande mudança ocorrida em suas vidas. Eu sou uma delas.




Nenhum comentário :

Postar um comentário

O que você achou? Deixe sua opinião. Ela é muito importante!